📜 [Poesia] Entreviste VocĂȘ

3 min de leitura

Conte-me mais sobre vocĂȘ

Do que compÔe teu cerne?

O que vocĂȘ faz com o outro?

Acolhe ou repele?

 

Quais os amigos que vocĂȘ lembra?

Quais deles ficaram para trĂĄs?

Qual vocĂȘ vĂȘ com mais frequĂȘncia?

Em qual dessas respostas encontra-se o mais perspicaz?

E os que agem com indolĂȘncia?

 

Quem estĂĄ do seu lado te apoia, ou te reprime?

Te esnoba ou te deixa firme?

 

O que vocĂȘ transpĂ”e para as pessoas em sua volta?

VocĂȘ gostaria que elas retribuĂ­ssem tal energia?

Quantas pessoas sabem que podem contar com vocĂȘ agora?

Quais delas pedem a sua ajuda?

Quais te ignoram?

Quantas vocĂȘ ajuda mesmo sabendo que nada demais terĂĄ a receber?

VocĂȘ Ă© elogiado(a) pelo quĂȘ?

 

Se a sua vida fosse um filme, qual filme seria?

Quais os seus planos para o futuro?

O que vocĂȘ deseja

EstĂĄ seguro sobre a mesa?

Ou preso na sua imaginação?

 

Como estĂĄ a vitrine do seu eu?

Quantos “vocĂȘs”, vocĂȘ tem?

Qual deles vocĂȘ Ă© comigo?

Qual deles vocĂȘ Ă© consigo?

Qual deles que mais lhe convém?

 

O que vocĂȘ tanto esconde por trĂĄs deste belo rosto sorridente?

EstĂĄ mesmo alegre? Morno(a)?

Ou estĂĄ “rindo para nĂŁo chorar”

Numa fase deprimente?

 

Qual a sua parcela de responsabilidade

Nas dores que vocĂȘ se queixa?

Estå buscando as soluçÔes para elas, à vista

Ou à prestação?

 

Entre doidos e doĂ­dos,

VocĂȘ prefere ou nĂŁo prefere acentuar?

Quais os segredos que vocĂȘ guarda?

E o que aguarda para revelar?

 

Quais mistérios habitam no seu lado sombrio?

Qual ministério atua nesse vazio?

O que vocĂȘ tanto procura

E nĂŁo encontra?

Uma (suposta) cura

Para o ausente?

Mero placebo, faz de conta?

 

VocĂȘ quer ser livre?

Mas jĂĄ aprendeu a voar?

Caso tenha muito medo,

Sente-se e pegue aquele livro

Que eu te ensino a rezar

 

O que te motiva?

Qual Ă© a sua sina?

Como eu posso saber da sua histĂłria?

O que a vida lhe ensina?

É o que vocĂȘ aprendeu na escola?

 

VocĂȘ busca melhorar um ambiente dando exemplos?

Ou opiniÔes?

Prefere apontar os defeitos?

Ou jå ir levando as sugestÔes?

 

VocĂȘ vive de quase?

EstĂĄ aqui de passagem?

Ou quer desfrutar o mĂĄximo que puder dessa viagem?

Ela estĂĄ sendo uma odisseia, ou entediante?

VocĂȘ é protagonista, telespectador ou figurante?

Joga na defesa?

Ou no ataque?

Marca gols?

Ou sĂł rebate?

 

O que vocĂȘ entende a respeito do amor?

Como aproveita a sua jornada?

A estrada Ă© longa,

Porém o seu destino estå logo ali

Talvez vocĂȘ fique na prĂłxima parada

Pode ser que até lå muito aconteça

Pode ser que nada,

E lembre-se:

NĂŁo terĂĄ dinheiro que pague

Nem apague da sua cabeça

Tudo aquilo que vocĂȘ deixou de viver intensamente

 

Por que vocĂȘ chegou aqui?

Sente-se um estranho no ninho?

Por que estå lendo essa poesia até o fim?

Por que nĂŁo desistiu no meio do caminho?

Quantas perguntas vocĂȘ deixou de responder?

Pode pensar que foi sĂł uma entrevista,

Sobretudo Ă© necessĂĄrio que ao longo da sua vida

VocĂȘ, entreviste vocĂȘ.

 

Se vocĂȘ realmente gostou do artigo, compartilhe faça com que outras pessoas tambĂ©m reflitam sobre elas mesmas.  😉

Abraço e até o próximo artigo!

⚠ O Blog PE Ă© um site dedicado a compartilhar conhecimentos sobre o ser humano de forma profunda que conta com o suporte de seus apoiadores. Clique aqui para saber como ajudar e ganhe recompensas excepcionais.

 

Pedro Emanuel | Artigos Épicos Sobre Ser Humano.

Gostou?! EntĂŁo por que nĂŁo compartilhar? =)

Outros Artigos: